SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Notícias

Trabalhadores da Ebserh Recife suspendem a paralisação, mas continuam em estado de greve

Fonte: Ascom Sindsep-PE
06/06/2018





A greve dos trabalhadores da Ebserh Recife está suspensa. A decisão foi tomada após assembleia realizada no início da tarde desta quarta, dia 6 de junho. É que no final da manhã, a Condsef/Fenadsef foi notificada pela Justiça sobre decisão liminar favorável à empresa pública, determinando a manutenção de 100% dos serviços essenciais e 20% dos não-essenciais (administrativos e assistenciais), sob pena de multa diária de R$ 200 mil para cada entidade sindical. Os demais estados também decidiram suspender a paralisação.

Até o fechamento desta edi-ção, a Condsef/Fenadsef e a direção da Ebserh estavam reunidas, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), na tenativa de chegar a um acordo e por fim definitivamente à greve.

Na noite da última terça-feira, dia 5, a Ebserh chegou a apresentar uma nova proposta aos trabalhadores, com melhorias em relação à apresentada na noite de segunda, 4, mas não foi aceita pelos estados. 

Apesar de mudar o índice, do INPC para o IPCA, o que elevou o reajuste de 4,69% para 4,76% nas negociações de 2017, e de 1,45% para 1,98% nas de 2018, a empresa insiste em pagar apenas 70% do valor retroativo (diferença salarial relativa ao reajuste devido do período de março de 2017 a fevereiro de 2018).

Nessa nova proposta, a Ebserh manteve o pagamento do retroativo das negociações de 2017 parcelado em duas vezes, mas agora com as duas parcelas a serem pagas ainda este ano, nos meses de julho e dezembro. O pagamento do retroativo das negociações de 2018 (diferença salarial relativa ao reajuste devido de março a junho de 2018) seria feito na folha de julho.

A resistência maior é aceitar apenas 70% do retroativo das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2017/2018. “Não podemos abrir mão dos 30% . Trabalhamos 100% e não 70%. Por que então recebermos só 70%?”, questiona Gislaine Fernandes, diretora do Sindspe-PE e empregada da empresa.

Na manhã dessa quarta, os trabalhadores dialogaram com os pacientes, com a finalidade de esclarecer o motivo da paralisação e receber o apoio da sociedade, já que a luta não é apenas por questões salariais, mas sim por uma saúde pública de qualidade e pelo fortalecimento do SUS. No piquete, inclusive, os grevistas chegaram a fazer atendimentos básicos aos pacientes, como aferição de pressão arterial. 

CLÁUSULAS SOCIAIS
Na proposta apresentada pela Ebserh ficam mantidos os dois dias de abono anual (os critérios vão ser elaborados na Mesa Nacional de Negociação, a qual será instalada imediatamente), a criação de uma comissão para acompanhar as denúncias de assédio moral e o intervalo 30 minutos de almoço para a área administrativa da empresa.

 


« Voltar



Receba Nosso Informativo

X