SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Notícias

CUT lança livro sobre devastação econômica causada pela Lava Jato

30/04/2021




A CUT lançou o livro “Operação Lava Jato: crime, devastação econômica e perseguição política”, nesta sexta-feira (30/04), em uma live transmitida pela Rede TVT, redes sociais e Youtube da CUT e do Instituto Lula. A obra detalha o estudo feito pelo Dieese que constatou a responsabilidade da Lava Jato pelo fechamento de 4,4 milhões de postos de trabalho no Brasil, causando um efeito bola de neve que acabou afetando toda a economia. Veja como foi o lançamento aqui

Segundo o livro, a Lava Jato retirou R$ 172 bilhões, em investimentos, da economia, dando início ao caos econômico em que o país se encontra hoje. Esse valor é 40 vezes maior do que o valor que a Operação afirma ter recuperado, desde o início de seu trabalho, em 2014. Segundo a publicação, o setor mais afetado foi a construção civil, que perdeu 1,1 milhão de postos de trabalho. De 2014 a 2017, a construção civil deixou de investir, graças à operação, um total de R$ 67.8 bilhões. Enquanto isso, a Petrobras deixou de investir R$ 104.3 bilhões. 

A falta de investimento nessas duas áreas e o grande número de demissões e não geração de novos postos de trabalho, afetou todos os demais setores econômicos brasileiros em um grande efeito cascata. Com menos dinheiro circulando no Brasil, houve retração de investimentos e perda de empregos em áreas como comércio por atacado e varejo (802 mil empregos perdidos), serviços domésticos (269,8 mil), alimentação (196 mil), agricultura (161,2 mil), saúde (99.4 mil) e educação (106.4 mil) privadas. 

O livro é uma publicação da editora Expressão Popular e estará disponível para reserva pelo e-mail [email protected], nas versões e-book e papel. A partir de 10 de maio, a obra estará disponível também para compra direta no site da editora expressaopopular.com.br

“Nosso objetivo é garantir a criação de instrumentos e leis para impedir que a destruição causada pela Lava Jato se repita no Brasil”, afirmou o presidente da CUT, Sérgio Nobre que assina o capítulo “Implicações Econômicas Intersetoriais”. 

Importante lembrarmos que Sérgio Moro, o ex-juiz que atuou de forma ilegal como principal articulador da Operação no Brasil, foi considerado, pelo STF, suspeito e parcial em processos que condenaram o ex-presidente Lula. A atuação de Moro foi determinante para que Lula fosse preso e não pudesse concorrer às últimas eleições presidenciais. As condenações de Lula foram anuladas e o ex-presidente voltou a ser elegível. 

Desemprego 

A Lava Jato foi responsável direta pelo fechamento de 4,4 milhões de postos de trabalho no Brasil. Indiretamente, esse número se multiplicou. Isso porque as pessoas que ficaram desempregadas, perderam seu poder aquisitivo e deixaram de consumir diversos produtos. E a queda de consumo gerou queda na produção e mais demissões, aumentando a taxa de desemprego e fome. 

Quando Dilma Rousseff assumiu a Presidência, em janeiro de 2011, a taxa de desemprego era de 6%. Ao final do seu primeiro mandato, em 2014, o desemprego médio estava em 4,8%. Em 2015, um ano depois de instalada a Lava jato, o desemprego médio anual registrado foi de 8,8%. E em 2016, já sob o Governo Temer - Dilma foi afastada do cargo em maio - a taxa média subiu para 11,5%. Hoje, no governo Bolsonaro, ela está em 14,4%. 

Fome

Com o aumento do desemprego, o Brasil também voltou a ocupar o Mapa da Fome. Segundo o IBGE, a insegurança alimentar grave estava presente no lar de 10,3 milhões de brasileiros entre os anos de 2017 e 2018. Neste período, 36,7% dos domicílios tiveram algum grau de insegurança alimentar. 

Com a política econômica adotada pelo governo Bolsonaro e devido a falta de  providências para enfrentar a pandemia, 116,8 milhões de pessoas passaram a conviver com algum grau de insegurança alimentar no país, o que corresponde a 55,2% dos domicílios. Esse dado é da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. 

Cestas básicas

Para ajudar a população desempregada que passa necessidade, o Sindsep dará início, neste sábado (1º de Maio), a uma campanha de distribuição de cestas básicas. O Sindicato irá distribuir 55 cestas, em uma ação em parceria com a CUT-PE, pela passagem do Dia Internacional do Trabalhador e Trabalhadora. A campanha do Sindsep será mensal. O Sindicato irá adquirir cestas básicas, produtos de higiene, gás de cozinha ou marmitas para a população de rua e repassar para outras entidades que irão fazer a distribuição. 
 

« Voltar

Receba Nosso Informativo

X