SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Notícias

Falta uma semana para a greve geral. Dia 14 de junho, a classe trabalhadora vai parar o Brasil

Fonte: Ascom Sindsep-PE
06/06/2019





Falta exatamente uma semana para a greve geral. No dia 14 de junho, o Brasil vai parar contra todos os desmandos do governo Bolsonaro, principalmente contra a reforma da Previdência, que acaba com a aposentadoria da classe trabalhadora. O Sindsep-PE vem realizando assembleias nos locais de trabalho para convocar os servidores federais a aderirem à paralisação. Para o setor público, o ataque é ainda mais agressivo, uma vez que o ministro da Economia, Paulo Guedes, todos os dias, investe contra a máquina pública.

Além de ser o mentor da privatização no governo Bolsonaro, Guedes anunciou, esta semana, a suspensão por tempo indeterminado de realização de concurso público e está fazendo lobby no STF para aprovar uma proposta que autoriza redução de carga horária do servidor com redução de salário. Duas propostas semelhantes também tramitam na Câmara dos Deputados e o governo está empenhado em aprova-las. Se o servidor não reagir e participar da greve do dia 14, dificilmente vai conseguir reverter esse quadro.

A reforma da Previdência deve ser votada na comissão especial da Câmara ainda na semana que vem e, segundo previsão do presidente da Casa, Rodrigo Maia, deve ser votada em plenário até o final do mês. Mas, o que vai definir essa tramitação é a força da greve geral. Se tiver uma dimensão grande, os deputados podem recuar. Por isso a necessidade de uma participação em massa dos trabalhadores.

Na última quarta-feira, dia 5, a líder das minorias na Câmara dos Deputados, Jandira Feghali, recebeu líderes sindicais para discutir estratégias para barrar a reforma, que recebeu 227 emendas na comissão especial, das quais mais de 80 estão relacionadas ao serviço público e ao servidor.

Depois que for votada na comissão especial, a reforma precisa de 308 votos para passar no plenário da Câmara. As informações dão conta que o governo ainda não tem esse número. No entanto, tem a caneta – como o próprio presidente costuma dizer – para agraciar deputados que não hesitam em participar de negociatas e troca de favores. Ou seja, o quadro geral é grave geral. Só a greve pode dar um basta em tudo isso.

ATIVIDADES

Para discutir os preparativos da greve geral em Pernambuco, representantes de centrais sindicais se reuniram, no final da tarde desta quinta-feira, 6 de junho. Até o fechamento desta edição, a reunião não tinha sido concluída e a programação completa estará disponível em breve nos informativos do Sindsep-PE.

Em Brasília, a Condsef/Fenadsef também está discutindo a greve do dia 14. A entidade  realiza uma plenária nacional neste sábado, dia 8, para orientar os sindicatos filiados a conduzir a greve geral. Um dia antes, na sexta, a confederação estará, junto com outras entidades do Fórum Nacional dos Servidores, participando de uma atividade em frente ao Ministério da Economia, para protestar contra aos ataques ao serviço público. Vai aproveitar para cobrar um canal de negociação com o governo e reapresentar a pauta de reivindicações, referente à campanha salarial da categoria.


« Voltar



Receba Nosso Informativo

X