Filiado à Cut e à Condsef/Fenadsef

Notícias

Governo anuncia aumento de 5% na gasolina e 14% no diesel; alta chega a 68% no ano

Fonte: CUT-Brasil
17/06/2022



Nesta sexta-feira (17) foi anunciado o reajuste em 5,1% o preço da gasolina vendida nas refinarias da distribuidoras de combustível da Petrobras. A estatal informou ainda que o preço do diesel subirá 14,2%.

O aumento vale a partir de sábado (18), com a gasolina variando R$ 0,15 por litro, enquanto o diesel terá variação de R$ 0,63 por litro. Apesar do reajuste passar a valer amanhã, ouvintes de emissoras de rádio  reclamavam na tarde de hoje que alguns postos na capital de São Paulo já estavam mudando a tabela de preços nas bombas.

Só em 2022, a gasolina vendida pela Petrobras acumula alta de 31%. Já o diesel, 68% de aumento.

Segundo a estatal, os aumentos estão relacionados aos impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia no valor do barril do petróleo.

O reajuste desta sexta foi discutido numa reunião emergencial do conselho de administração da estatal realizada na quinta-feira (16). O governo federal, sócio-controlador da Petrobras, tem seis dos 11 membros do conselho.

Jair Bolsonaro (PL)  criticou o novo reajuste, mas ele não disse é que a política de preços internacional (PPI), que atrela o valor do barril ao dólar da Petrobras, poderia ser mudada pelo próprio presidente, que agora com receio de perder as próximas eleições, critica a estatal.

O presidente declarou ser "contra qualquer reajuste nos combustíveis" em postagem no twitter. "Não só pelo exagerado lucro da Petrobras em plena crise mundial, bem como pelo interesse público previsto na Lei das Estatais", complementou.

Ações da Petrobras caem de valor

Segundo o Portal Uol, as ações da Petrobras caíam cerca de 9,17% por volta das 14h desta sexta (17), por causa das críticas de políticos ao aumento nos preços dos combustíveis aplicado pela companhia. A Bolsa opera em baixa e a queda nas ações emourram para o fundo e pioram o fechamento de uma semana já negativa para o mercado de ações diante da alta histórica dos juros nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com o Portal, nesta tarde, o Ibovespa mergulhava 3,76%, aos 98.936 pontos. Caso encerre o dia nesse patamar, o índice de referência da Bolsa terá a pontuação mais baixa para um fechamento desde o início de novembro de 2020, última vez que o indicador terminou o dia abaixo dos 100 mil pontos.

« Voltar


Receba Nosso Informativo

X
Este website utiliza cookies

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência, otimizar as funcionalidades do site e obter estatísticas de visita. Saiba mais