SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Notícias

Sindicatos são de extrema importância para vencer onda fascista no Brasil

Fonte: Ascom Sindsep-PE
08/06/2020



Pegando carona na pandemia da covid-19, o governo Bolsonaro quer colocar em prática um projeto de extrema direita no país que visa acabar com os direitos trabalhistas, o serviço público e, principalmente, com o Estado Democrático de Direito. Para o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos de Oliveira, para enfrentar toda essa ofensiva fascista é preciso fortalecer a luta da classe trabalhadora e isso passa pelo fortalecimento das entidades sindicais.

“Para enfrentarmos esse governo e toda a ofensiva do mercado financeiro e demais setores conservadores do país, é preciso fortalecer toda a sociedade civil organizada, principalmente entidades sindicais, legítimas representantes dos trabalhadores”, dispara José Carlos de Oliveira.

O coordenador geral do Sindsep-PE lembra que os sindicatos nasceram justamente como reação às precárias condições de trabalho e remuneração, que estão longe de acabar. 

“Do ponto de vista histórico já avançamos muito”, lembra. Como avanços sociais importantes conquistados pela classe trabalhadora por meio dos sindicatos, ele lembra, logo de cara, da redução gradual da jornada de trabalho de um total de até 16 horas, no século XVIII, para as atuais 8 horas diárias, exceto o caso das jornadas diferenciadas resguardadas por lei.

“Os sindicatos são também uma dimensão indispensável da democracia porque permitem uma relação igualitária nas negociações laborais”, explica José Carlos. Servidor de carreira da Secretaria de Trabalho e Emprego, extinto Ministério do Trabalho, ele explica a importância dos sindicatos.

“Para que a mão de obra, lado mais vulnerável na relação de trabalho possa ter algum sucesso, é preciso ter ao seu lado os sindicatos. Não é uma correlação de forças fácil, o governo Bolsonaro sabe disso, o capital sabe disso, por isso tentam nos atacar a todo o custo”, reforça o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos de Oliveira.

Além da redução da jornada de trabalho, são conquistas históricas dos sindicatos o 13º salário; férias remuneradas de 30 dias; Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS); Aviso-prévio; direto à greve; irredutibilidade salarial; licença-maternidade; faltas justificadas; Seguro Desemprego; e concursos públicos.

“Nada veio de graça para a classe trabalhadora. Tudo é resultado de muita luta, muito esforço e da participação dos sindicatos. É preciso que os trabalhadores tenham consciência disso. Atravessamos um momento de pandemia, que vai passar, e nossa luta deve ser intensificada, mas continua e é forte. E quando essa pandemia passar, com certeza voltaremos às ruas, não vejo a hora”, fala José Carlos de Oliveira. 

« Voltar

Receba Nosso Informativo

X